Translate

domingo, 30 de novembro de 2008

Fantasmas exorcizados





Vultos estranhos passam pela parede do meu quarto
Enquanto uma voz sussurra ao pé do meu ouvido
Vislumbres ocupam meus olhos
São os fantasmas da minha culpa
Que tomam conta da minha vida
Se eles forem os fantasmas, eu sou a exorcista.


Não me amedrontarei, com lembranças estúpidas.
Porque as vivi da maneira que quis
Se eu errei, foi de cabeça erguida.
Não tente tomar conta da minha vida

A vergonha se foi , minha raiva ficou
E se transformou em um ódio possuidor



Não se faça de menino tímido, não me faça de tola.
Isso, vai , fale com ela, que é a
Menina sensível que você sempre quis
Mas não seja intransigente
Porque minha paciência é pouca
Esqueça que eu existo
Porque se você for um fantasma
Eu sou a exorcista