Translate

domingo, 28 de dezembro de 2008

Adeus, ano-velho.

Finalmente eu começei minha contagem regressiva para o fim do ano. Isso é bem clichê, mas enfim...
Eu nunca vivi tantas experiências novas em sequência quanto neste ano. Pela primeira vez na vida eu fiquei realmente distante dos meus amigos,fui atirada aos leões e precisei de meses para criar vínculos novamente na escola... Ao passo que no técnico me enturmei com uma facilidade que me era desconhecida. E para coroar todos esses acontecimentos acadêmicos, fui razoavelmente bem na prova de uma universidade federal. 2008 foi um ano quase feliz, que começou lento e cheio de expectativas , que também começou com este blog, que está prestes a completar um ano de vida.
Pela primeira vez eu quase reconheço pura e claramente os meus sentimentos, finalmente eu enxergo com alguma clareza o que sinto em relação a coisas e pessoas.
As mudanças que eu sofri este ano espero que tenham me melhorado. Que este rascunho de gente que eu sou, com falhas, borrados e consertos, quando for passado a limpo, possa ser um rascunho da perfeição. O isolamento que tantas vezes eu conheci durante esse ano, me presenteou com um auto-conhecimento tão minucioso que eu quase posso afirmar quem eu SOU.
Neste último post do ano, eu espero que você, antes da meia-noite do dia 31 realmente possa entender a magnitude que foi viver 1 ano inteiro.... Pessoas se foram pelo caminho, e a princípio, Nós temos mais uma chance de continuar a nossa história, de melhorar... Mais uma oportunidade de fazermos tudo do modo correto antes da próxima encarnação. É por isso, que eu desejo a você, quem quer que seja, saúde, sabedoria e determinação , por que tendo isso, o resto somos capazes de conseguir.

Depois de 2009, estarei na vida adulta!




Então,
Hasta la vista 2008, Bienvenido2009

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Então é Natal.


Finalmente, o fim do ano.

Pessoas correndo, estressadas... Por causa do Natal.
Não é uma blasfêmia nem nada, mas não gosto do Natal, é como se as pessoas usassem o Natal como desculpa para serem gentis, como forma de apagarem os erros cometidos durante o ano, como se a família precisasse de razões para estar unidas....
No fundo, acho que o Natal é uma das grandes hipocrisias do ser humano, então, como eu sou humana,



Feliz Natal!


P.S.: Mas o natal ainda não me anima...

sábado, 20 de dezembro de 2008

Fé(de novo)

"Eu não poderia acreditar em um Deus que não soubesse dançar"-Friedrich Nietchzse




Bom , não é por nada não , mas eu acho que o Nietchzse "se amarrava" em uma curimba. Ok, Ok. Chega de frases mal escritas. A cada toque que assisto me vejo cada vez mais apaixonada pelo Candomblé.




Pode ser um "auto - condicionamento", talvez porque sempre convivi com pessoas desse meio, mas não sei. O candomblé é hoje a única coisa que eu não contesto nesse mundo, e não me pergunte o porque meu instinto questionador não é tão afiado quando se trata disso.

O fato é: abraçar um Orixá traz para mim uma sensação de paz sem igual, um amor tão puro, que me faz tremer e comemorar, pois é algo que eu não lutei para ter e por isso, me acalma, me faz sentir protegida e mais forte.
Eu me conheço o suficiente para saber que o que eu sinto em relação a essa religião não é algo que vai durar meses.
Eu procurei tanto por esse nível de empatia, que agora eu me pergunto se a resposta não estava bem na minha frente o tempo inteiro. Independente disso, já ocorreu uma mudança em mim, eu tenho sido mais humilde e tento com esforço ser mais gentil.
Não que essas mudanças ocorram por causa da religião exclusivamente, mas porque tenho visto coisas que antes sequer sabia que existiam.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Efêmero

Eu estou saturada.Não há mais nada que eu agüente, não há respiração que eu tolere.Eu só quero me sentir realmente ssozinha- é melhor que entrar em contato com pessoas vazias. Eu quero escutar a minha respiração hesitante e contar o tempo que ela vai levar para sumir.
A felicidade é tão absurdamente efêmera que a desilusão torna-se cada vez mais rotineira. A dor faz metástase e , do nada, sorrir passa a ser apenas uma contração de músculos.
Estou vazia, completa e totalmente vazia. Tudo o que eu quero é tranqüilidade, pelo menos por uma vez na vida não quero me encontrar perdida.
Que se acabe oficialmente o prazo de validade, por que minha vida está vazia.



"
And I look deep inside of me
There's a place but it's not plain to see
where I belong where no one else can be

And I'm searching for myself again
And here I'm all alone and when
I close my eyes and no on else can see
"- I walk alone - KISS

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Mãe( eu espero que a sua seja diferente da minha)


Com 16 anos de idade eu levei um sermão por chegar ás nove da noite em casa. Não sei você ,mas eu, acho isso no mínimo estranho.

Minha cidade não é tão violenta quanto poderia ser,além disso, sou responsável e cumpro minhas obrigações. A vida inteira fui a menina bem comportada e com boas notas, citada todo o tempo como exemplo. No entanto, minha doce mamãe me "superprotege" ou pelo menos eu costumava achar que era isso.

Agora, começo a achar que deveria ter dado mais trabalho assim, hoje , minha mãe não tentaria criar situações para usar a autoridade que ela tem e não precisa usar.No fundo, eu tenho que entender, ela precisa de pauta pra conversar com as amiga-ter uma filha certinha que faz besteiras que ela não descobre é realmente muito sem graça. Ela precisa de conflitos constantes,claro,o analista tem família.

Mães são o médico e o monstro.