Translate

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

O cordão da bola preta.


No último sábado fiz algo inédito, algo que nunca achei que fosse fazer: fui a um dos blocos de carnaval mais tradicionais do Rio de Janeiro. Eu simplesmente não sabia como agir. Não sabia se pulava e cantava com a mesma alegria que os outros, ou se sorria sem esperar por motivo , ou ainda se ficava com algum tipo de nojo por estar em uma "muvuca" cheia de gente suada.
Até que foi divertido pela companhia que tive no meio daquele tumulto. Entretanto, com frequência nas horas em que estive lá me senti uma intrusa, uma desconhecida no meio de uma velocidade que não era minha. Não estou acostumada a rir à toa, pular , cantar ou exercer qualquer tipo de ação sem refletir algumas vezes antes.
Não, eu não estava fugindo do bloco, mas a formação dele se parece com uma onda que pretende impor algum tipo de felicidade e satisfação.

2 comentários:

Isabela disse...

as vezes apenas se entregar à felicidade sem tentar refletir sobre ela é bom... aliás, pra ser feliz não é necessario refletir... as vezes refletir até te impede de ;)

™[ﻱţėfåņλ] άмїŹǎDə ♥ ( L )¹²³ disse...

....
é esytranho quando a gente não é acostumado ....
mais se vc ficou feliz...
q bom...
pelo menos foi ainspiração pra escrever....