Translate

sábado, 14 de março de 2009

Esgotada.

A UERJ marcou a data do primeiro exame, dia 21 de junho. Eu ainda não me sinto para a prova da UERJ e faltam pouco mais de 3 meses.
Eu tenho estado cansada, com olheiras e tenho que estudar mais. Tenho sido negligente com a minha alimentação,já engordei, e tenho estado emocionalmente mais descontrolada e ainda assim o que motiva isso não está valendo à pena.
Eu me olho no espelho e vejo o bagaço da laranja. Aí eu me lembro que tenho uma lista de matemática a ser terminada. Só tem estudado, e mais nada. Estudado até ficar com dor de cabeça, tenho dormido menos que antes e apesar deu achar o horário tardio vivo escutando que deveria dormir mais tarde.



Sim, eu admito, estou com medo, muito medo, da UERJ. De não passar nela, e em nenhuma outra , de transformar esse ano em um ano vão onde apenas me auto-destruí.




Química - Legião Urbana
Estou trancado em casa e não posso sair
Papai já disse, tenho que passar
Nem música eu não posso mais ouvir
E assim não posso nem me concentrar
Não saco nada de Física
Literatura ou Gramática
Só gosto de Educação Sexual
E eu odeio Química
Não posso nem tentar me divertir
O tempo inteiro eu tenho que estudar
Fico só pensando se vou conseguir
Passar na porra do vestibular
Não saco nada de Física
Literatura ou Gramática
Só gosto de Educação Sexual
E eu odeio Química Química Química
Chegou a nova leva de aprendizes
Chegou a vez do nosso ritual
E se você quiser entrar na tribo
Aqui no nosso Belsen tropical
Ter carro do ano, TV a cores, pagar imposto, ter pistolão
Ter filho na escola, férias na Europa, conta bancária, comprar feijão
Ser responsável, cristão convicto, cidadão modelo, burguês padrão
Você tem que passar no vestibular
Você tem que passar no vestibular (2x)

domingo, 8 de março de 2009

Empolgação.

Se tem algo que realmente me impressiona é como algumas pessoas e se empolgam fácil, melhor, como algumas pessoas se surpreendem por terem levado um tombo por se empolgarem fácil.
Sentimentos efêmeros fogem à minha compreensão. Pessoas que se conhecem ontem e se dizem apaixonadas hoje; gente que se conhece há horas e se dizem amigas... Eu realmente não entendo isso.

O que aconteceu com os sentimentos profundos? O que aconteceu com a cautela, com o instinto de sobrevivência? E no meio de tudo isso, há uma tendência individualista. Mas isso não me surpreende; as pessoas se emplogam, se ferem e se fecham, passando a viver em um universo próprio.

O imediatismo que nos torna doentes empolgados é o mesmo que mata o amor. Não se ama mais como deveria. Hoje, confundem a física com amor. Não há mais a velha empatia entre duas mentes, duas almas... A síncope que antes definia o amor está morta. Me parece cada vez mais irreal que alguém possa viver algo verdadeiro quando se sente feliz e empolgado com algo que dura cinco minutos...


Mas sabe, eu prefiro acreditar no Fernando Sabino.




"No fim tudo dá certo, e se não deu certo é porque ainda não chegou ao fim."- Fernando Sabino.





(post desconexo e mal escrito...)

Os outros.

É muito complicado ser amigo. Pelo menos amigo de verdade, aquele que não se faz presente apenas nas horas felizes. Mas, e quando chegam os momentos difíceis? Falar "conte comigo sempre " é muito fácil e se arrepender depois de ter dito isso é mais fácil ainda.

De fato, para alguém se sentir compreendido, tem que, no mínimo conversar com alguém que entenda como ele se sente. Eu devo que admitir que muitas vezes sou uma amiga semi-competente e isso me fustra. È muito ruim ter um amigo sofrendo e não conseguir pelo menos entender e não adianta dizer " mas que droga, eu não reagiria assim então não posso entender o que você sente" porque a resposta vai ser " jura que você tem sentimentos?".


Ultimamente a minha declaração de amizade tem sido a presença silenciosa e ou a certeza de que estou lendo as mensagens do msn por mais que não responda nada que diga grande coisa.

E de novo a mesma coisa, da sua história eusou apenas uma mera espectadora que espera o final feliz do filme.