Translate

domingo, 8 de março de 2009

Empolgação.

Se tem algo que realmente me impressiona é como algumas pessoas e se empolgam fácil, melhor, como algumas pessoas se surpreendem por terem levado um tombo por se empolgarem fácil.
Sentimentos efêmeros fogem à minha compreensão. Pessoas que se conhecem ontem e se dizem apaixonadas hoje; gente que se conhece há horas e se dizem amigas... Eu realmente não entendo isso.

O que aconteceu com os sentimentos profundos? O que aconteceu com a cautela, com o instinto de sobrevivência? E no meio de tudo isso, há uma tendência individualista. Mas isso não me surpreende; as pessoas se emplogam, se ferem e se fecham, passando a viver em um universo próprio.

O imediatismo que nos torna doentes empolgados é o mesmo que mata o amor. Não se ama mais como deveria. Hoje, confundem a física com amor. Não há mais a velha empatia entre duas mentes, duas almas... A síncope que antes definia o amor está morta. Me parece cada vez mais irreal que alguém possa viver algo verdadeiro quando se sente feliz e empolgado com algo que dura cinco minutos...


Mas sabe, eu prefiro acreditar no Fernando Sabino.




"No fim tudo dá certo, e se não deu certo é porque ainda não chegou ao fim."- Fernando Sabino.





(post desconexo e mal escrito...)

4 comentários:

™[ﻱţėfåņλ] άмїŹǎDə ♥ ( L )¹²³ disse...

talvez a gente se empolgue pra fugir da rotina?
e acaba se emplogando com coisas nem sempre tão empolgantes para não deixar de se empolgar....
pode ser....
coisas da vida;

Karina disse...

Eu sou uma pessoa assim, que se empolga muito e imediatamente. Mas apesar de efêmeros, muitos desses sentimentos são tão profundos que deixam marcas eternas. E por ser assim, eu concordo com o que disse, o amor longo e duradouro realmente passa distante dessas pessoas. E quando passa perto, costuma ser algo platônico. É o meu caso, pelo menos. Mas quem é assim costuma não gostar de ser assim.

philosophystrikesagain disse...

ah,faz bastante sentido tudo isso.o orkut e,principalmente,o big brother mostram como as pessoas já perderam o interesse pela privacidade e pelo respeito próprio.hoje as coisas são assim mesmo.e eu acho que as pessoas nunca estiveram mais vazias,daí a efemeridade das coisas.

Tk"S disse...

Oi! Adorei os seus posts!
Ah concordo, principalmente com aquela frase q jah perdeu o sentido, proferida sem nenhum sentimento: "eu te amo", tudo parece q perdeu o sentido!