Translate

domingo, 31 de maio de 2009

Purple.

Em cada um que passa eu vejo o mesmo rosto, a mesma expressão, a mesma altura. Cada par de olhos tem o mesmo brilho, cada sombracelha parece estar erguida sobre aquele supercílio.
Conciliações não funcionam assim, eu devia ter te ensinado melhor. Entretanto,quem sou eu para trabalhar em casos impossíveis? Cada barca que atravessa o mar leva junto desejo e vontade. Era coisa de momento.
Não sinto nada, você sente? Não, não responda. Eu juro que não quero ouvir. Serei insensível a sua dor ou a dor de qualquer outro. Não há sensibilidade em mim. Dos amores platônicos não restou um, os reais já não me tocam. Não há emoção que faça meu coração palpitar mais rápido, minha boca secar e o fluxo de sangue se concentrar em minhas bochechas.
Não há tempo, espaço ou paciência para devaneios infantis.
Insensibilidade? Amadurecimento.






P.S: Não tente entender o título, ele só vai fazer sentido para mim.

sábado, 16 de maio de 2009

Que sou eu?


"Quem há, como eu sou?" - Gonçalves Dias.

Que sou eu além de uma adolescente melodramática? Que sou eu além de alguém que sabe pouca matemática?
Eu me olho no espelho e encaro meus horrores. Que sou eu além de alguém que não teve intensos amores? Eu me sinto isolada, um pedaço de nada.
Eu sou alguém que acha os próprios cachorros mais humanos que gente, eu sou alguém de voz pouco eloquente.
Até pouco tempo atrás me achava uma boa amiga, hoje sou só mais uma relapsa que se sente perdida. Eu quero me sentir de fato boa, quero colocar em prática a minha fé, quero ter certeza de que meus objetivos podem ficar de pé.
Eu tenho muito, muito medo de meu tempo acabar e eu não ter feito nada. Ainda mais medo tenho de me transformar em uma porta. Eu quero viver as minhas ideologias, àquelas que alguns dizem que daqui a 20 anos estarão perdidas.
Não é justo! Não é justo que elas terminem assim, demorou muito, muito tempo para elas adotarem a mim. Mas, não sou nada,nada. Sou só mais uma impaciente,uma menina descontente.
Algumas vezes eu me alegro por ter nascido sob o mais forte signo do zodíaco.Me orgulho por ser uma escorpiana com ascendente em gemino e a lua em virgo.
Mas e daí? Continuo sendo nada, nada. Uma colcha de ideologias retalhadas.

"Que sei eu do que serei, eu que não sei o que sou?"- Fernando Pessoa.