Translate

domingo, 5 de julho de 2009

No caminho


Eu estava em um dos lugares mais belos e "perigosos" da minha cidade.A noite fria e estrelada era acariciada pela brisa do mar.Sabe aquele caminho todo branco onde ficam os apaixonados?Foi ali.Alguém especial estava comigo, alguém que há muito eu luto para não amar como Psique amou Eros.
As minhas mãos gélidas sentiam os músculos dele se contraírem sob a frieza do toque,nada interrompia nossas gargalhadas, assim como nada aconteceu.Até a chegada daquela figura encardida.Era mais um dos "hippies" que perambulam pelo centro da minha querida cidade natal.Ele tinha nas mãos alguns fios de cobre e um alicate.
-Posso fazer uma arte?
-Pode.
Habilmente ele começou a retorcer os fios,com a ajuda do alicate, em fração de segundos, o fio de cobre era um anel que trazia uma estrela.Ok, confesso que agora,enquanto escrevo,também vejo um botão de rosa no centro da estrela que está em meu anelar.
Mas nada disso importa.O que me deixa feliz foi ter ouvido oque o ilustre desconhecido me disse ao entregar o anel.A beleza e simplicidade de suas palavras, a sensibilidade com que ele parece enxergar o mundo. Um artista marginalizado em todos os sentidos.
Não vou citar um filósofo ou escritor que goste.Não vou contar como o "alguém especial" me desapontou. Mas vou evocar as palavras de alguém que não mais verei.
" Que a sua estrela brilhe sempre! Trazendo felicidade a você e sua família." Queria eu saber como fazer essa citação com a mesma intensidade com a qual ela foi proferida.

P.S.: Isso aconteceu dia 29 de junho. No Caminho Niemyer, Niterói,Rj.

3 comentários:

philosophystrikesagain disse...

ah,que bonito...

heart-of-glass disse...

que fofoo *_*. geralmente esses hippies tem uma simplicidade que chega a ser mágica :).

Gammers disse...

" Que a sua estrela brilhe sempre! Trazendo felicidade a você e sua família."

vou morar com esse tio
aprendizados de vida '-'