Translate

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Marina.

Marina resolveu sentar-se no banco de madeira à sombra da florida acácia amarela. A brisa de primavera brincou com os seus cabelos e fez cócegas na sua face.
Seus olhos sonhadores contemplaram cada pequeno detalhe daquele parque mal cuidado,dos muitos gatos às mães que com muito custo tentavam controlar seus filhos,às senhoras miúdas e muito enrugadas que jogavam milho para os pestilentos pombos.
De repente,passou a carrocinha da pipoca e,na superfície metálica Marina encarou seu reflexo pálido.Na sua imagem apenas os olhos brilhavam,todo resto era apenas um borrão de cores indefinidas e não catalogadas.
Houve então uma reviravolta súbita.A brisa parou por um instante.
Marina levantou-se.Decidiu-se.
A vida subitamente pareceu curta demais para se lamentar e ela resolveu,então,que o caminho para a satisfação começaria por um picolé de uva.

3 comentários:

Mel. disse...

Achei bem doce e saudosista!

Fábio Racoski disse...

Preciso seguir o caminho de Marina.

Isa disse...

eu começaria pela pipoca!