Translate

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

What the fuck?

Eu não sei exatamente o que esperar da vida. Talvez, eu não devesse esperar coisa alguma. Mas ultimamente a minha insatisfação é tanta que dormir parece uma alternativa de fato atraente.

A sensação que eu tenho é de que estou fazendo tudo, menos aquilo que realmente devia. E é bizarro pensar assim quando você tem uma noção muito clara de que está em posição privilegiada. De repente, o 'extra' de 'extraordinário' começa a parecer uma estrada sem fim, daquelas longas e cheias de buraco. É cansativo, é estafante e dá vontade de desistir.

Ultimamente, uma das questões que mais têm martelado na minha cabeça noite e dia é o porque, porque nos submetemos a tantas frustrações todos os dias. Porque trabalhamos 40h por semana? Porque contas são tão importantes? Porque continuamos fazendo a manutenção desse sistema?

Claro que, num mundo tão grande, a minha satisfação ou não é absolutamente irrelevante. Mas eu me pergunto isso porque com certeza eu não sou o único ser humano insatisfeito do mundo. E aí, vem a questão: o que a gente faz com essa insatisfação? Corta os pulsos? Sustenta a inércia? Ignora?

Qual é a dificuldade em abrir mão daquilo que notoriamente faz tão mal? O que provoca esse comodismo?




Nenhum comentário: